26 de Agosto de 2014

HPC e Obra do Salvador renovam convênio

O convênio firmado em 2012 entre as instituições foi renovado por mais dois anos


Adolescentes que participam dos cursos de agentes, assistentes e auxiliares administrativos do Programa Jovem Aprendiz, na Obra do Salvador, terão a oportunidade de continuar atuando no Hospital Plantadores de Cana (HPC). O convênio firmado em 2012 entre as instituições foi renovado por mais dois anos. Nessa nova etapa, inicialmente serão atendidos no mínimo mais 10 jovens.

No HPC, os jovens executam serviços de apoio em diversas áreas — recursos humanos, administração, finanças, departamento pessoal, diretoria, informática, almoxarifado, ouvidoria e logística — e estreitam contato com fornecedores e clientes, além da humanização do atendimento aos usuários do hospital.

Os participantes têm ainda a oportunidade de fornecer e receber informações sobre os serviços prestados. Setenta por cento dos jovens que continuarem já possuem a vaga garantida como colaborador do hospital.

Já na Obra do Salvador, eles têm aulas teóricas de Comunicação Oral e Escrita, Inclusão Digital, Raciocínio Lógico-Matemático, Diversidade Cultural, Organização, Planejamento e Controle no Processo do Trabalho, Direitos Trabalhistas e Previdenciários, Saúde e Segurança no Trabalho, Direitos Humanos, Geração do Trabalho, Mercado e Mundo do Trabalho entre outros.

OBRA DO SALVADOR

A Obra do Salvador vem desenvolvendo há 9 anos cursos semiprofissionalizantes para adolescentes de 14 a 18 anos, aprimorando habilidades de um profissional preparado para atuar na era do conhecimento. Segundo o coordenador do programa, Anderson Esteves, a parceria é uma grande oportunidade para os jovens em situação de vulnerabilidade social, promovendo a primeira oportunidade de aprendizado profissional.

“A empresa recebe através da dedicação, comprometimento e da energia juvenil, a oportunidade de uma mão de obra inovadora. O HPC serve de exemplo, para as empresas da região”, afirmou Anderson que disse também que despertando talentos, proporcionando responsabilidade social é possível fazer um mundo melhor.

” A ação tem contribuído para a minimização da marginalidade e da exclusão social, visto que a população atendida pertence a uma classe social onde os problemas relativos a baixa auto estima, a falta de sonhos, falta de oportunidades, a inversão de valores e a baixa escolaridade ganham maiores proporções a cada dia”, explicou o coordenador.

O presidente do Hospital, Frederico Paes disse que apóia a iniciativa por entender que é uma oportunidade de apoiar os jovens. “A iniciativa tem formado futuros colaboradores do HPC. Melhor do que ser obrigatório é poder contribuir na formação dos jovens”, afirmou.

Em 9 anos de projetos, a Obra do Salvador formou 2.290 jovens que buscavam oportunidades de trabalho, mas que encontravam dificuldades de inserção no mercado de trabalho devido à baixa escolaridade, e por não apresentarem experiência profissional comprovada.


veja também